Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

O Sr. Amável e o Sr. Gato Pardo "Não aguento tanta amabilidade num dia só..."

12.09.14publicado por Gato Pardo

Posso dizer com alguma autoridade que já apanhei de quase tudo na estrada.

Mulheres a depilarem-se, homens a aparar as sobrancelhas, putos a sacar burriés do nariz do tamanho de travesseiros de sintra, até pessoal a fumar, vejam lá o escândalo.

Mas o que me mói mesmo as entranhas são os senhores amáveis.

Os senhores amáveis são aquela estirpe de condutor que quer ser tão amável mas tão amável que só apetece ultrapassar, guinar o carro à frente dele, sair, puxá-lo pelo vidro cá para fora e dar-lhe com a tola no capot do carro dele...só para ver se alguma da amabilidade sai pelas orelhas.

O senhor amável do Mercedes que ia à minha frente numa estrada nacional decidiu que estava na hora de ter alguma amabilidade para uns senhores que saíam de um parque. Trava o carro a fundo, quase que cria ali um acidente de proporções épicas, muita borracha queimada. Pessoal atrás de mim a apitar feitos loucos e eu ali metido no meio da embrulhada. Nada contra ser amável para com outras pessoas, mas quando a amabilidade vai de encontro a um sinal STOP, um parque de estacionamento de camiões TIR e um acesso a uma estrada nacional a coisa muda ligeiramente de figura.

6 camiões TIR depois, 3 cigarros fumados e ter amaldiçoado toda a família do Sr. Amável em silêncio, lá se seguiu caminho. 5 minutos depois, o Sr. Amável decidiu que ainda não se tinha armado em escuteiro em demasia para um dia só e saca da sua próxima boa acção. Parou numa passadeira...onde não se via vivalma...não se ouvia um som...nicles batatóides...isto porque não estava ninguém para atravessar a passadeira. Mas como estava a uma senhora no prédio ao lado da passadeira a estender roupa interior, ele decidiu parar ali uns minutitos não fosse dar à senhora uma quebra de tensão e ela cair da janela...do rés do chão!

Pronto, aí passei-me. Não me recordo na totalidade de tudo que verbalizei mas tinha algo a ver com o símbolo do Mercedes inserido em alguns orifícios sensíveis e o cabo de embraiagem à volta do pescoço. Coisas subtis, nada de muito puxadito...

Ok, a amabilidade faz parte do ser humano. Mas não exagerem, porra.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.